sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O Papa no twitter


Bento XVI poderá ser seguido na rede social


O Papa Bento XVI vai entrar no Twitter. Todas as informações sobre o assunto serão anunciadas na próxima segunda, 3 de dezembro, em uma coletiva a ser realizada na Sala de Imprensa da Santa Sé.

Participarão da coletiva o Arcebispo Claudio Maria Celli, presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, Dom Paul Tighe, secretário do mesmo dicastério, padre Federico Lombardi, diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, o diretor do "L'Osservatore Romano", Gian Maria Vian e "Media Advisor" da secretaria de Estado, Greg Burke.

Twitter é uma rede social que permite aos usuários enviar e receber atualizações pessoais e informações em pequenos textos com menos de 140 caracteres via SMS, mensageiro instantâneo, e-mail, site oficial ou programa especializado, em tempo real. O usuário pode seguir qualquer conta que lhe interessar.

O Papa já utilizou os 140 caracteres do Twitter, quando em junho de 2011, lançou o portal de informação do Vaticano www.news.va, com as palavras: "Queridos amigos, eu apenas dei início ao www.news.va. Louvado seja Jesus Cristo! Com minhas orações e bênçãos, Benedictus XVI ".

Fonte: Zenit.org

Festa de Nossa Senhora da Conceição em Boas Novas - PE

PROGRAMAÇÃO
13 a 16 de Dezembro de 2012

 
13/12 (quinta-feira)
19:00h – Hasteamento da Bandeira de Nossa Senhora e Terço meditado 
19:30h – Celebração da Palavra (Frei Nivaldo ofm)

14/12 (sexta-feria)
19:00h – Terço meditado
19:30h – Celebração da Palavra

15/12 (sábado)
18:30h – Terço e Ofício de Nossa Senhora
19:30h – Louvor (Grupo de Oração Avivamento do Pentecostes – RCC)

16/12 (domingo)
06:00h – Oficio de Nossa Senhora (cantado)
12:00h – Salva de tiros
15:00h – Batizados Solenes
16:00h – Procissão com a imagem de Nossa Senhora da Conceição, logo após Santa Missa e 1ª Comunhão (Pe Pedro)

Justiça nega pedido de retirada de 'Deus seja louvado' das notas de Real

A Justiça negou ontem (29) o pedido para retirar a expressão "Deus seja louvado" das cédulas do real feito pelo Ministério Público Federal de São Paulo . Segundo a decisão judicial, a menção a Deus nas notas do real "não parece ser um direcionamento estatal na vida do indivíduo que o obrigue a adotar ou não determinada crença", afirma a decisão sobre a ação. "Assim como também não são os feriados religiosos e outras tantas manifestações aceitas neste sentido, como o nome de cidades". A sentença é da 7ª Vara da Justiça Federal.
 
 A decisão é provisória e pode ser revogada ou modificada.   Diogo Shiraiwa/Editoria de Arte/Folhapress No início de novembro, o Ministério Público de São Paulo entrou com uma ação civil pública para pedir que as novas cédulas de real passassem a ser impressas sem a expressão "Deus seja louvado". O pedido, feito pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, afirma que a existência da frase nas notas fere os princípios de laicidade do Estado e de liberdade religiosa. O Banco Central defende que este tema deve ser debatido pelo Conselho Monetário Nacional e que há "inexistência de verossimilhança das alegações" e [...] que estas não violam os princípios constitucionais do Estado Laico e da liberdade religiosa".
 
"De fato, não foi consultada nenhuma instituição laica ou religiosa não cristã que manifestasse indignação perante as inscrições da cédula e não há notícia de nenhuma outra representação perante o Ministério Público neste sentido", reconhece a decisão judicial da 7ª Vara.
 
"A alegação de afronta à liberdade religiosa não veio acompanhada de dados concretos, colhidos junto à sociedade, que denotassem um incômodo com a expressão 'Deus' no papel-moeda."
 
O pedido de retirada da expressão causou polêmica sobre a possível alteração das notas de real. Um dos críticos foi o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que foi responsável por incluir a frase nas cédulas da moeda brasileira quando foi presidente da República, em 1986. Sarney classificou a ação como "falta do que fazer" do Ministério Público. A Igreja Católica também criticou a ação.
 
"Questiono por que se deveria tirar a referência a Deus nas notas de real. Qual seria o problema se as notas continuassem com essa alusão a Deus?", afirmou dom Odilo Scherer, arcebispo metropolitano de São Paulo, em nota.

Fonte: http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2012/11/30/justica-nega-pedido-de-retirada-de-deus-seja-louvado-das-notas-de-real.jhtm


terça-feira, 13 de novembro de 2012

Expressão "Deus seja louvado" lembra que dinheiro está a serviço das pessoas, diz CNBB

Cédula de real com a inscrição "Deus seja louvado"
O secretário-geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), dom Leonardo Ulrich Steiner, afirmou nesta terça-feira (13) que há "coisas muito mais essenciais" para se preocupar do que a retirada da expressão "Deus seja louvado" das notas de real, pedida em uma ação protocolada ontem pelo Ministério Público Federal.

Sarney critica pedido para retirar 'Deus seja louvado' das cédulas de real
 
Reprodução
Cédula de real com a inscrição "Deus seja louvado"
 
Para ele, a existência da expressão nas frases "poderia lembrar que o próprio dinheiro deve estar a serviço das pessoas, especialmente dos pobres, na partilha e na solidariedade".

O pedido de retirada da frase, feito pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão em São Paulo à Justiça Federal, diz que a expressão nas notas fere os princípios de laicidade do Estado e de liberdade religiosa.

O religioso, no entanto, contestou trecho da ação que afirma que a existência da frase nas notas "constrange a liberdade de religião de todos os cidadãos que não cultuam Deus".

"Não vejo que constrange, mas pode incomodar aos que afirmam não crer. As pessoas que vivem a sua fé, em suas diversas expressões, certamente não se sentem constrangidas pois vivem da grandeza da transcendência", afirmou à Folha.
Fonte: www.bol.com.br 

domingo, 30 de setembro de 2012

Conselho Nacional consagra nova presidência a Nossa Senhora Aparecida


A tarde desse sábado (29) na reunião do Conselho Nacional da RCCBRASIL foi marcada por uma visita ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida, onde ocorreu um ato de consagração da nova presidência eleita do Movimento à padroeira do Brasil.
O momento foi conduzido pelo assessor eclesiástico da RCC e arcebispo de Belém/PA, Dom Alberto Taveira, e aconteceu a pedido de Kátia Roldi Zavaris, que assume o cargo de presidente do Movimento em janeiro de 2013.
 
Em conversa com o Portal RCCBRASIL, Kátia ressaltou que a eleição na RCC não é um processo de escolha puramente humano, mas uma experiência de vivência dos carismas, na busca por se deixar direcionar pelo Espírito Santo. “Esse momento nos faz viver uma experiência do Senhorio de Jesus, pois sabemos que é a Sua mão poderosa que direciona todas as coisas. Meu coração está cheio de alegria e, como Maria, quero simplesmente dizer ‘eis me aqui, Senhor’“.
 
Em relação à missão de estar à frente do Movimento no Brasil, Kátia destacou a necessidade dos carismáticos serem agentes do Batismo no Espírito Santo: “Sinto que esse será um tempo de entregarmos, muitas vezes, nossas vidas nas mãos de Deus. Assim, seremos instrumentos 100% Dele e continuaremos difundindo a Cultura de Pentecostes no nosso país”.
A reunião do Conselho Nacional segue até domingo (30).
 

sábado, 29 de setembro de 2012

Um adeus a Hebe Camargo.


Morreu, na manhã deste sábado(29-09), por conta de uma parada cardíaca, a apresentadora Hebe Camargo, em sua casa, no Morumbi.
 
De volta ao SBT, Hebe se preparava para reinaugurar uma nova fase em sua tradicional casa, de onde se 'mudou', em 2011, indo para a Rede TV!
 
Hebe lutava contra um câncer no peritônio, descoberto em janeiro de 2010. Em março, a diva de nossa TV retirou um tumor no intestino, logo depois, em junho, necessitando remover sua vesícula. Em agosto, Hebe foi internada para fazer um tratamento metabólico, já que não conseguia se alimentar corretamente.
 
Devota como era de Nossa Senhora de Fátima, Hebe deixará saudades com seu exemplo de fé e luta pela vida. Que Nossa Senhora interceda e a espere no céu.

Caras sorridentes

Um sorriso não custa nada e rende muito
 
“Não esqueças - dizia São Josemaria Escrivá - que, às vezes, faz-nos falta ter ao lado caras sorridentes” (Sulco, n. 57).

Ele o recomendava, e (sou testemunha disso) praticava-o em favor dos outros todos os dias. Costumava dizer, por experiência própria, que, em muitas ocasiões, “sorrir é a melhor mortificação”, porque custa. Sim, pode nos custar, custar muito, sobretudo nos dias em que não nos sentimos bem ou andamos aflitos e preocupados, mas o esforço sacrificado de tentar sorrir por amor - por amor a Deus e por amor aos outros -, passando por cima das dificuldades, constitui um belo serviço, pois torna mais amável e alegre a vida dos que convivem conosco.

É estranho, mas alguns pensam que sorrir sem ter vontade é hipocrisia. Não é verdade. Por exemplo, fazer o esforço, no lar, de sorrir para evitar preocupações, angústias, tormentos, mau humor ao marido, à mulher, aos filhos, é um grande ato de amor. O sorriso afetuoso dissipa nuvens, desarma irritações, abre uma nesga de céu por onde pode entrar o sol da alegria e o bom humor.
 
Por isso, deve-se lutar, esforçadamente, para não privar desse bem os outros. Sorrir não é só uma reação espontânea, uma atitude “natural” que não se pode controlar; pode - e deve, muitas vezes - ser um ato voluntário de amor, praticado com esforço consciente, pensando no bem dos outros.

A este propósito, gosto de recordar um cartão de Boas-Festas que um padre amigo me mandou em fins de 1992. Era uma folha de papel simples, xerocada na paróquia, e trazia uma espécie de poema. Não sei se era da autoria dele ou se o tomara emprestado de alguma publicação ou da internet. Seja como for, o conteúdo era muito simpático. Debaixo do cabeçalho - um sorriso -, vinham as seguintes frases:

- “Não custa nada e rende muito."
- “Enriquece quem o recebe, sem empobrecer quem o dá."
- “Dura somente um instante, mas os seus efeitos perduram para sempre."
- “Ninguém é tão rico que dele não precise."
- “Ninguém é tão pobre que não o possa dar a todos."
- “Leva a felicidade a todos e a toda a parte."
- “É símbolo da amizade, da boa vontade, é alento para os desanimados, repouso para os cansados, raio de sol para os tristes, ressurreição para os desesperados."
- “Não se compra nem se empresta."
- “Nenhuma moeda do mundo pode pagar o seu valor."
- “Não há ninguém que precise tanto de um sorriso como aquele que já não sabe sorrir."
- “Quando você nasceu, todos sorriram, só você é que chorava. Viva de tal maneira que, quando você morrer, todos chorem e só você sorria."
Padre Francisco Faus
http://www.padrefaus.org/

Santos Arcanjos, socorrei-nos!

ArcanjosCom muita alegria, a Igreja celebra, no dia 29 de setembro, a festa litúrgica dos santos arcanjos: Miguel (Quem como Deus), Gabriel (Força de Deus) e Rafael (Cura de Deus). Eles têm a função de cuidar de diversos aspectos da vida das pessoas, principalmente porque trabalham juntos para iluminar nossos caminhos. É sempre bom recorrer aos anjos quando estamos com um problema, em casos de urgências, perigo e sofrimento.

 
A presença dos anjos é muito simples e discreta. Somente no céu teremos a verdadeira noção do quantos eles nos guardam nesta caminhada. Fazem de tudo para nos levar ao Senhor e nos guarda das armadilhar do mal.
 
Peçamos, neste dia especial, a santa proteção dos arcanjos para não cairmos nas armadilhas e ciladas do demônio.
 
O combate é espiritual, porém, o que nos resta fazer é pedir sempre a guarda deles: “Quem é como Deus”- São Miguel, Rafael e Gabriel, rogai por nós.
 
Oração aos santos arcanjos
 
Ajudai-nos, ó grandes santos, irmãos nossos, que sois servos como nós diante de Deus. Defendei-nos de nós mesmos, de nossa covardia e tibieza, de nosso egoísmo e de nossa ambição, de nossa inveja e desconfiança, de nossa avidez em procurar a saciedade, a boa vida e a estima.
 
Desatai as algemas do pecado e do apego a tudo o que passa. Desvendai os nossos olhos que nós mesmos fechamos para não precisar ver as necessidades de nosso próximos e poder, assim, ocupar-nos de nós mesmos numa tranquila autocomplacência. Colocai em nosso coração o espinho da santa ansiedade de Deus para que não deixemos de procurá-lo com ardor, contrição e amor.
 
Contemplai em nós o Sangue do Senhor, que Ele derramou por nossa causa. Contemplai em nós as lágrimas de vossa Rainha, que ela derramou sobre nós.
 
Contemplai em nós a pobre, desbotada, arruinada imagem de Deus, comparando-a com a imagem íntegra que deveríamos ser Sua vontade e Seu amor.
 
Ajudai-nos a conhecer Deus, a adorá-Lo, a amá-Lo e a servir-Lhe. Ajudai-nos no combate contra os poderes das trevas que, traiçoeiramente, nos envolvem e nos afligem.
 
Ajudai-nos para que nenhum de nós se perca e para que, um dia, estejamos todos jubilosamente reunidos na eterna bem-aventurança. Amém.
 
São Miguel, assisti-nos com vossos santos anjos;
Ajudai-nos e rogai por nós.
 
São Rafael, assisti-nos com vossos santos anjos;
Ajudai-nos e rogai por nós.
 
São Gabriel, assisti-nos com vossos santos anjos;
Ajudai-nos e rogai por nós.
 
Reze também:::A Quaresma de São Miguel Arcanjo

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Pregação do Diácono Frei Nivaldo no Retiro de Oração

08 de Setembro de 2012
 
Reflexão - Jo 21,15-19 
 Foi um reencontro celebrativo, marcado pela ternura e pelo carinho. No fim, Jesus chama Pedro e pergunta três vezes: "Você me ama?" Só depois de ter recebido, por três vezes, a mesma resposta afirmativa, é que Jesus dá a Pedro a missão de tomar conta das ovelhas. Para podermos trabalhar na comunidade Jesus não pergunta se sabemos muita coisa. O que ele pede é que tenhamos muito amor!
 João 21,15-17O amor no centro da missão
Depois de uma noite de pescaria no lago sem pegar nenhum peixe, chegando na praia, os discípulos descobrem que Jesus já tinha preparado uma refeição com pão e peixe assado nas brasas. Todos juntos fizeram uma ceia de confraternização, em cujo centro estava o próprio Senhor Jesus, preparando a Ceia. Terminada a refeição, Jesus chama Pedro e pergunta três vezes: "Você me ama?" Três vezes, porque foi por três vezes que Pedro negou Jesus (Jo 18,17.25-27). Depois de três respostas afirmativas, também Pedro se torna "Discípulo Amado" e recebe a ordem de tomar conta das ovelhas. Jesus não perguntou se Pedro tinha estudado exegese, teologia, moral ou direito canônico. Só perguntou: "Você me ama?" O amor em primeiro lugar. Para as comunidades do Discípulo Amado a força que as sustenta e mantém unidas não é a doutrina, mas sim o amor.
 João 21,18-19A previsão da morte
 Jesus diz a Pedro: Eu garanto a você: quando você era mais moço, você colocava o cinto e ia para onde queria. Quando você ficar mais velho, estenderá as suas mãos, e outro colocará o cinto em você e o levará para onde você não quer ir. Ao longo da vida, Pedro e todos nós vamos amadurecendo. A prática do amor irá tomando conta da vida e a pessoa já não será mais dono da própria vida. O serviço de amor aos irmãos e às irmãs tomará conta de tudo e nos conduzirá. Um outro colocará o cinto em você e o levará para onde você não quer ir. Este é o sentido do seguimento. E o evangelista comenta: “Jesus falou isso aludindo ao tipo de morte com que Pedro iria glorificar a Deus”. E Jesus acrescentou: "Siga-me."
 O amor em João – Pedro, você me ama? - O Discípulo Amado
 A palavra amor é umas das palavras mais usadas por nós, hoje em dia. Por isso mesmo, é uma palavra muito desgastada. Mas era com esta palavra que as comunidades do Discípulo Amado manifestavam a sua identidade e o seu projeto. Amar é antes de tudo uma experiência profunda de relacionamento entre pessoas onde existe uma mistura de sentimentos e valores como alegria, tristeza, sofrimento, crescimento, renúncia, entrega, realização, doação, compromisso, vida, morte etc. Este conjunto todo na Bíblia é resumido por uma única palavra na língua hebraica. Esta palavra é hesed. É uma palavra de difícil tradução para a nossa língua. Nas nossas Bíblias geralmente é traduzida por caridade, misericórdia, fidelidade ou amor. As comunidades do Discípulo Amado procuravam viver esta prática do amor em toda a sua radicalidade. Jesus a revelou em seus encontros com as pessoas com sentimentos de amizade e de ternura, como, por exemplo, no seu relacionamento com a família de Marta em Betânia: “Jesus amava Marta e sua irmã e Lázaro”. Ele chora diante do túmulo de Lázaro (Jo 11,5.33-36). Jesus encarou sempre sua missão como uma manifestação de amor: “tendo amado os seus, amou-os até o fim” (Jo 13,1). Neste amor Jesus manifesta sua profunda identidade com o Pai (Jo 15,9). Para as comunidades não havia outro mandamento a não ser este: “agir como Jesus agia” (1Jo 2,6). Isto implica em “amar os irmãos”(1Jo 2,7-11; 3,11-24; 2Jo 4-6). Sendo um mandamento tão central na vida da comunidade, os escritos joaninos definem assim o amor: “Nisto conhecemos o Amor: que ele deu a sua vida por nós. Nos também devemos dar as nossas vidas por nossos irmãos e irmãs”. Por isso não devemos “amar só por palavras, mas por ações e verdade”.(1Jo 3,16-17). Quem vive o amor e o manifesta em suas palavras e atitudes torna-se também Discípula Amada, Discípulo Amado.
FREI Nivaldo OFMCap
                                                                           PAZ E BEM!

Retiro de Oração em Boas Novas provoca os participantes a Pastorearem as ovelhas do Senhor

Aconteceu no ultimo final de semana (07, 08 e 09 de Setembro) o Retiro de Oração em comemoração aos 13 anos de evangelização do Grupo de Õração Avivamento do Pentecostes célula da Renovação Carismática Católica, o evento foi realizado na Escola Vicente Ferreira no Distrito de Boas Novas, município de Bezerros - PE, com o tema: APASCENTA AS MINHAS OVELHAS (Jo 21,17). O evento está em sua 6ª edição e já se tornou tradição do Grupo de Oração, vieram representações das cidades de Tacaimbó, Recife, São Joaquim do Monte, Santa Cruz do Capibaribe, do distrito de Encruzilhada de São João, Bezerros, Gravatá e Caruaru.
 
Durante os três dias de oração e pregação os pregadores exortavam a todos a SEREM DE DEUS, provocando a serem pastores das ovelhas do Senhor. Momentos de muita alegria e descontração, animaram o lual realizado no sábado que durou de 22h as 00h, aquilo que nossos olhos nao viram e os nossos ouvidos não ouviram, foi isso que o Senhor preparou para nós, quantas curas, quantas libertações, quantas graças foram derramadas nesses três dias de oração. Os participantes e a comunidade de Boas Novas só tem a agradecer pela iniciativa de levarem a muitos a se retirarem e encontrar aquele que se deixa achar, JESUS CRISTO. 
 
O GO Avivamento do Pentecostes agradece a todos que participaram, Deus abençoe vocês, agradece também aqueles que estiveram em oração pelo retiro mas que não puderam participar, a vocês as nossas orações.
 
Veja alguns momentos do retiro:
 




 

sábado, 18 de agosto de 2012

AIS lança campanha para doar Youcat`s a jovens brasileiros


A Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) no Brasil lançou a campanha “Meio Milhão de Catecismos para os Jovens”. A iniciativa tem por finalidade a publicação de 500 mil exemplares da edição brasileira do Youcat, um catecismo elaborado especialmente para a juventude com prefácio escrito pelo Papa Bento XVI. A campanha busca a distribuição gratuita para jovens de todo o país por meio do Episcopado brasileiro.

Com isso, o objetivo é ajudar os jovens brasileiros a aprofundarem o conhecimento da fé, em um momento marcado pelas preparações para a próxima Jornada Mundial da Juventude, que será realizada em pouco menos de um ano no Rio de Janeiro.

O diretor da AIS no Brasil, José Lúcio Corrêa, explicou que a ideia surgiu tendo em vista que muitos jovens do país não teriam meios de adquirir o Youcat. “Da nossa parte, desejamos que o maior número possível de jovens brasileiros tenha este livro que os trará mais perto de Deus, ao responder suas principais perguntas sobre a fé”.

Segundo a Associação, a campanha “só termina quando todo o dinheiro for arrecadado”. A expectativa é que os Youcat`s comecem a ser enviados a algumas dioceses brasileiras a partir do final de setembro.

Leia mais
.: YouCat é um grande presente de Bento XVI aos jovens
.: Quem é Deus? Youcat responde dúvidas de fé dos jovens

Recado para todos que fazem parte do Ministério da Intercessão em todos os lugares do mundo.

INTENÇÕES PARA ESTE MÊS
Atenção: No mês de setembro, acontecerá a Reunião do Conselho Nacional onde será escolhida a nova coordenação nacional da RCC, por isso pedimos que todos os intercessores priorizem esta intenção durante este mês.

1. Pela Reunião do Conselho Nacional da RCCBRASIL nos dias 27 a 30/09/12 e pela escolha da nova coordenação nacional da RCC que acontecerá nesta reunião.

2. Pelo Santo Padre, o papa Bento XVI, pelos bispos, sacerdotes, diáconos e religiosos (as).

3. Pelos seminaristas. Para que neste período de formação sintam seu chamado confirmado.

4. Pelo Presidente Nacional da Renovação Carismática Católica, Marcos Volcan, e pela sua família.

5. Pelos Grupos de Oração da RCC no Brasil e pelos seus coordenadores e servos.

6. Pelas coordenações diocesana e estadual da RCC em cada diocese e estado do Brasil.

7. Pela unidade da RCC em todo Brasil, estados, Grupos de Oração, equipes de serviço e todas as diversas expressões carismáticas.

8. Pelos Serviços para a RCC Internacional (ICCRS), e pelo Conselho Latino-Americano (CONCCLAT), para que o Espírito Santo dirija os projetos e orientações do nosso movimento.

9. Pelos Programas de TV da RCC: Celebrando Pentecostes, na Canção Nova, e Renovação em Ação, na TV Século 21. Pelo Portal da RCC na Internet.

10. Pelos nossos Projetos de evangelização, entre eles as Semanas Missionárias e as Casas de Missão (Breves, Afuá, Canas e Pelotas).

11. Por todos os colaboradores do projeto da Construção da Sede Nacional e pela construção de nossa Sede Nacional.

12. Pelos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, para que objetivem os valores cristãos e respeito à vida desde sua concepção, nas tomadas de decisão e pelas eleições municipais deste ano.

13. Pelos funcionários e pelas necessidades do Escritório Nacional da RCCBRASIL.

14. Para que cada membro da RCCBRASIL se abra à moção da Reconstrução de sua vida espiritual e de sua identidade.

Conheça o site da RCC Brasil

www.rccbrasil.org.br

Inscrições estáo se encerrando corre que da tempo!

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Programação do Retiro


“Apascenta as minhas Ovelhas” (Jo 21, 17)


07 de Setembro
19:00h – Acolhida por parte da coordenação geral
                 Terço Mariano (Ministério de Intercessão)
19:30h – Louvor (Ministério de Música Avivamento do Pentecostes)
                 1ª Pregação (Cleide) Jo 15, 16
                 Oração com a imagem de Nossa Senhora Aparecida
                 Avisos: Horários do sábado e do domingo (coordenação geral)

08 de Setembro
07:30h – Café da manhã
08:00h – Acolhida com o Terço da Providência (Ministério de Intercessão)
08:30h – Louvor (Ministério de Música Avivamento do Pentecostes)
09:00h – Pregação e oração ( Josivaldo ) Iz 49, 7
10:00h – Intervalo (inscrição para o show de calouros)
10:20h – Louvor
10:40h – Testemunho e oração ( Nica )
11:40h – Intervalo para o almoço
13:30h – Louvor
14:00h – Pregação e oração ( Ariana ) Mt 10, 28-33
15:00h – Terço da Divina Misericórdia (Ministério de Intercessão)
15:30h – Intervalo
16:00h – Show de Calouros e louvorzão
17:00h – Intervalo para banhos
18:30h – Janta
19:30h – Louvor
20:00h – Pregação e Adoração ao Santíssimo Sacramento ( Frei Nivaldo ) Jo 21, 17
21:30h – Avisos: Horários do domingo
10:30h – Recolhimento para os dormitórios

09 de Setembro
07:30h – Café da Manhã
08:00h – Terço Mariano (Ministério de Intercessão)
08:30h – Louvor
09:00h – Pregação e Oração ( Sandro ) Rm 8, 12-17
10:00h – Intervalo
10:20h – Louvor
10:40h – Pregação e Oração ( Hélio ) I Cor 10, 12-13
11:40h – Almoço
14:00h – Show com o Ministério de Música São Miguel
15:30h – Intervalo
16:00h – Encerramento com a Santa Missa (Frei Lopes)
                 Agradecimentos (Cleide)

O que é a Oração Papal do Ângelus?


Roma (Quinta-feira, 09 de agosto de 2012, Gaudium Press) Nos domingos e dias festivos, o Papa João XXIII começou a rezar -antes de dar a bênção aos fiéis reunidos na Praça de São Pedro, no Vaticano- uma antiga e curta oração dedicada a Nossa Senhora.

Ele estava iniciando um costume que até hoje persiste, que tornou-se uma tradição e faz parte da agenda do Papa.

Com o Papa Bento XVI acontece o mesmo fenômeno. Todos os domingos, milhares de fiéis aguardam ansiosamente o aparecimento do Papa em uma das janelas do Palácio Pontifício. Exatamente ao meio dia eles rezam com o Santo Padre a Oração do Ângelus. E mesmo como agora, estando em Castel Gandolfo --residência de verão dos Pontífices-- a cena acontece: multidões de fiéis procuram estar junto ao seu Pastor para rezar com ele.

Se estiver fazendo frio ou calor, se a chuva cai ou o sol esteja a pino, isso pouco importa: o importante é rezar com o Papa.

Mas, o que vem a ser o Ângelus? Ele é uma oração mariana que recorda o momento da Encarnação de Nosso Senhor Jesus Cristo no seio puríssimo da Virgem Maria. Lembra a ocasião em que o arcanjo Gabriel disse à Santíssima Virgem que ela havia sido escolhida para ser a Mãe do Salvador.

Desde os primeiros tempos do cristianismo, existe o piedoso costume de recordar este instante da vida de Nossa Senhora. Os séculos se passaram e surgiu a tradição de rezar com essa recordação três ave-Marias em honra da Mãe de Deus.

A partir do século XVI foram juntadas a essas ave-Marias três frases que recordam verdades evangélicas referentes a Nossa Senhora.

O único momento do ano em que não se recita o Ângelus é depois da Semana Santa.

Durante o período Pascal ele é substituído por outra oração mariana, o Regina Coeli. Uma oração que recorda a ressurreição de Nosso Senhor e as alegrias de Maria, sendo rezada até a festa de Pentecostes. (JSG)



Todo cristão é um Profeta




 
A Igreja continua a missão de Cristo na Terra

O mundo de hoje, cada vez mais, vai se dividindo entre os que amam e servem a Deus e aqueles que vivem “como se Ele não existisse”, como disse o Papa João Paulo II. Para o mundo – “que jaz no maligno” -  já não há lugar para Deus e para a vivência de suas leis. A imoralidade cresce avassaladoramente, derrubando os pilares da civilização cristã do Ocidente. A moral católica é desprezada, a dignidade divina do homem é pisoteada, o desrespeito a Deus é acintoso. O homem moderno quer o lugar de Deus, quer ser o seu próprio Deus, e vai construindo uma nova Babel onde impera a confusão, o desentendimento e a angústia moderna.
Por outro lado, o maligno vai espalhando as mãos cheias de joio no meio do bom trigo do Senhor; cada vez mais, falsas doutrinas e falsas religiões afastam o povo da verdadeira Redenção; e, dentro da Igreja floresce também o secularismo e o relativismo moral, contestando abertamente ao Papa e ao Magistério sagrado da Igreja. João Paulo II disse que os falsos profetas fizeram escola no século XX.

São Paulo alertou a São Timóteo, o seu bispo primeiro, de Éfeso,  sobre essa ousadia dos “iluminados”: “O Espírito diz expressamente que nos tempos vindouros, alguns apostatarão da fé, dando ouvidos aos espíritos sedutores e doutrinas diabólicas” (1 Tim 4,1). “Porque virá o tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Tendo nos ouvidos o desejo de ouvir novidades, escolherão para si, ao capricho de suas paixões, uma multidão de mestres. Afastarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas?” (2 Tim 4,3-4). É o que vemos hoje: “falsos profetas”, “doutrinas diabólicas”, “multidão de mestres”, milhares de “fábulas”… povo enganado. O profeta Oséias anunciou bem: “O meu povo perece por falta de doutrina” (Os 4,6).
O Plano de Deus para salvar a humanidade é este: o Pai enviou o Filho, e o Filho enviou a Igreja; isto é, os Apóstolos e seus sucessores (cf. Mt 10, 16ss; Jo 20,21-23), com a missão de pregar o Evangelho em toda a terra e lhes prometeu: “Eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos” (Mateus 28,20).
A Igreja continua a missão de Cristo na Terra. Cristo veio para “tirar o pecado do mundo” (Jo 1, 29) como um Cordeiro imolado. A missão da Igreja é a mesma em todos os tempos, denunciar o pecado do mundo, para que este possa se converter e ser salvo; pois, como disse São Paulo: “o salário do pecado é a morte” (Rm 6,23).
Se a Igreja não denunciar o pecado do mundo ela estará traindo o seu Senhor, deixando de cumprir sua missão. O profeta Ezequiel destaca isso: “Se digo ao malévolo que ele vai morrer, e tu não o prevines e não lhe falas para pô-lo de sobreaviso devido ao seu péssimo proceder, de modo que ele possa viver, ele há de perecer por causa de seu delito, mas é a ti que pedirei conta do seu sangue. Contudo, se depois de advertido por ti, não se corrigir da malícia e perversidade, ele perecerá por causa de seu pecado, enquanto tu hás de salvar a tua vida” (Ez 3,18-19).
Se a Igreja não denunciar hoje os pecados dos homens, como João Batista fez com Herodes Antipas, ela será culpada diante do seu Senhor. É claro que isso gera perseguição aos filhos da Igreja; pois Jesus é “sinal de contradição”, como disse o velho Simeão a Maria e a José. Nunca a Igreja deixou de ser caluniada, atacada e perseguida em toda parte; e é isso que a faz semelhança a seu divino autor e redentor, como disse São João: “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam…”.


Nunca vimos tanta imoralidade campear em nosso mundo como hoje: tenta-se legalizar a prostituição, distribui-se a pornografia por todos os meios; a prática homossexual é propagada e incentivada às crianças e aos jovens; defende-se o aborto, a eutanásia, a manipulação de embriões humanos e seu uso criminoso como se não fosse gente, incentivo ao suicídio, distribuição farta e vergonhosa da “camisinha”; propagação da “identidade de gênero” para negar que o ser humano foi criado sexuado por Deus, enfim, nega-se radicalmente a moral cristã, cospe-se no rosto de Cristo.
E a Igreja não pode se calar diante de tanta ofensa a Deus. Se nos calarmos as pedras clamarão. Quando os enviou, Jesus deixou claro que os seus seriam perseguidos: “Eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, pois, prudentes como as serpentes, mas simples como as pombas. Cuidai-vos dos homens. Eles vos levarão aos seus tribunais e açoitar-vos-ão com varas nas suas sinagogas. Sereis por minha causa levados diante dos governadores e dos reis: servireis assim de testemunho para eles e para os pagãos… Sereis odiados de todos por causa de meu nome, mas aquele que perseverar até o fim será salvo.”(Mt 10,16-22. Mas Jesus prometeu uma grande recompensa:
Penso que esteja na hora de meditar seriamente nessas palavras de Jesus: “Portanto, quem der testemunho de mim diante dos homens, também eu darei testemunho dele diante de meu Pai que está nos céus.  Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus.” (Mt 10,32-33). Negar a doutrina de Jesus, negar o que ensina a Igreja, é negar Jesus Cristo diante dos homens.

Prof. Felipe Aquino

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Profissão: Pai

Imagem de Destaque
A transmissão da fé aos filhos
 Dar exemplo, dedicar tempo, rezar… a transmissão da fé aos filhos é uma tarefa que exige empenho.

Quando se busca educar na fé, não se deve separar a semente da doutrina da semente da piedade; é preciso unir o conhecimento com a virtude, a inteligência com os afetos. Neste campo, mais que em muitos outros, os pais e educadores devem cuidar do crescimento harmonioso dos filhos. Não bastam umas quantas práticas de piedade com um verniz de doutrina, nem uma doutrina que fortaleça a convicção de dar o culto devido a Deus, de tratar-lhe, de viver as exigências da mensagem cristã, de fazer apostolado. É preciso que a doutrina se faça vida, que resulte em determinações, que não seja algo desligado do dia a dia, que se converta em compromisso, que leve a amar Cristo e os demais.

Elemento insubstituível da educação é o exemplo concreto, o testemunho vivo dos pais: rezar com os filhos (ao levantar-se, ao deitar-se, ao abençoar os alimentos); dar a devida importância ao papel da fé no lar (prevendo a participação na Santa Missa durante as férias ou procurando lugares sadios – que não sejam dispersivos – para distrair-se) ; ensinar de forma natural a defender e transmitir sua fé, a difundir o amor a Jesus. “Assim, os pais infundem profundamente, no coração de seus filhos, deixando marcas que os acontecimentos posteriores da vida não conseguirão apagar”.

É necessário dedicar tempo aos filhos: o tempo é vida, e a vida – a de Cristo que vive no cristão – é o melhor que se lhes pode dar. Passear, organizar excursões, falar de suas preocupações, de seus conflitos. Na transmissão da fé, é preciso, sobretudo, “estar e rezar”; e se nos equivocarmos, pediremos perdão. Por outro lado, experimentar o perdão, o qual o leva a sentir que o amor que se lhes tem é incondicional.
 Explica Bento XVI que os mais jovens, “desde que são pequenos, têm necessidade de Deus e capacidade de perceber Sua grandeza; sabem apreciar o valor da oração e dos ritos, assim como intuir a diferença entre o bem e o mal, acompanhando-os, portanto, na fé, desde a idade mais tenra”. Conseguir nos filhos a unidade no que se crê e o que se vive é um desafio que deve enfrentar evitando a improvisação, e com certa mentalidade profissional.
A educação na fé deve ser equilibrada e sistemática. Trata-se de transmitir uma mensagem de salvação, que afeta toda a pessoa e deve enraizar-se na cabeça e no coração de quem a recebe, ou seja, entre os quais mais queremos. Está em jogo a amizade que os filhos tenham com Jesus Cristo, tarefa que merece os melhores esforços. Deus conta com nosso interesse por fazer-lhes acessível à doutrina, para dar-lhes Sua graça e fixar-se em suas almas; por isso, o modo de comunicar não é algo acrescentado ou secundário à transmissão da fé, mas que pertence à sua dinâmica.

Para ser um bom médico não é suficiente atender os pacientes: há de estudar, ler, refletir, perguntar, investigar, assistir a congressos. Para sermos pais, temos de dedicar tempo e nos examinarmos sobre como melhorar no próprio trabalho educativo. Em nossa vida familiar saber é importante; o saber fazer é imprescindível e o querer fazer é determinante. Pode não ser fácil, porém convém sempre tirar alguns minutos do dia, ou umas horas nos períodos de férias, para dedicá-los à própria formação pedagógica.

Não faltam recursos que possam ajudar a este perfeccionismo: abundam os livros, vídeos e portais da internet bem orientados, nos quais os pais encontram ideias para educar melhor. Ademais, são especialmente eficazes os cursos de Orientação Familiar, que não só transmitem conhecimento ou técnicas, mas ajudam a percorrer o caminho da educação dos filhos e o da melhoria pessoal, matrimonial e familiar.

Conhecer com mais clareza as características próprias da idade dos filhos, assim como o ambiente no qual se movem seus iguais, forma parte do interesse normal por saber o que pensam, o que os move, o que os põe em dúvida. Em ultima análise, permita-se conhecê-los e isso facilitará educá-los de um modo mais consciente e responsável.
A. Aguiló
http://www.opusdei.org.br


sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Vídeo Motivacional - Impressionante!


Apaixonei-me pelo meu amigo

Imagem de Destaque

Nossas carências podem ofuscar nossa visão

 
Em nosso dia a dia, estamos sempre abertos a viver novas experiências, pois sabemos que a conquista de novas amizades é algo que nos faz crescer. Dessas amizades, há aquelas com quem mantemos maior empatia e, sem grandes dificuldades, estabelecemos grandes vínculos.

Com isso, a conversa flui com facilidade, a simpatia da pessoa nos atrai e as nossas afinidades nos levam a “baixar a guarda” de nossos medos e receios. Sem perceber, está estabelecida uma reciprocidade com quem não hesitamos em partilhar nossas conquistas, vitórias, alegrias, medos, sonhos e, até mesmo, de partir em defesa dessa pessoa se necessário for.

O zelo e o cuidado mútuo alimentam os nossos sentimentos, estreitando e valorizando, fortemente, os laços com os quais estamos envolvidos. Isso faz com que nos tornemos cada vez mais próximos um do outro.

A íntima relação com tal pessoa poderá nos conduzir por veredas, onde a atmosfera estabelecida, tiraria o fôlego de nossa razão e ofuscaria nossa visão, a ponto de acharmos que estamos apaixonados. Tomados por essa sensação, podemos permitir viver outro tipo de envolvimento, somente pelo fato de sermos objeto da preocupação e da atenção recebida da pessoa querida, senão da amizade.
A liberdade que encontramos dentro de tal relação poderá nos abalar emocionalmente, de maneira especial, se estivermos atravessando momentos delicados em outras esferas de nossos relacionamentos. Algumas vezes, podemos viver certos tipos de carências que precisam ser sanadas, a fim de não confundir nossas emoções dentro de um relacionamento que já foi estabelecido ou o que ainda está por se estabelecer.
Quais limites poderiam nos valer, como alerta, a respeito de outros sentimentos que poderiam emergir entre uma grande amizade que se desponta? Assim como o valor de um diamante se concentra na ausência de impurezas, nossos sentimentos, da mesma forma, precisam ser lapidados, eliminando as impurezas que podemos trazer para dentro de uma nova experiência, especialmente, quando nos sentimos perdidos no “oceano” de nossas carências.

Tal compromisso não isenta aqueles que são apenas amigos ou outros que já vivem o compromisso de namorados; mas também aqueles que já partilham com outra pessoa um estado de vida definitivo, pois ninguém está livre das crises que poderão abrir as portas para outros tipos de afeições.

Os resultados obtidos dessa experiência poderão não ser tão tranquilos quando nos deixamos envolver pelos desejos potencializados, por outras necessidades, e não aquelas que anteriormente intencionávamos estabelecer.

A linha que separa e define as fronteiras de nossos relacionamentos é tênue, mas se estabelece na clareza daquilo que buscamos fundamentar em nossas amizades, especialmente quando se trata do convívio com o sexo oposto.

Precisamos entender que as confusões de nossos sentimentos, quase sempre, está relacionadas a algum outro tipo de cuidado que deixamos de experimentar, o qual poderia nos ludibriar com o menor gesto de atenção, recebidos da pessoa com quem estabelecemos contato.
Dessa forma, para evitar que surja, dentro de uma grande amizade, segredos que poderiam causar sofrimentos para todas as demais pessoas com quem convivemos, precisamos estar atentos a qualquer tipo de intimidade ou aproximação que não caberia no relacionamento, o qual procuramos manter com o (a) amigo (a).

Certamente, a postura contrária para aquilo que os nossos sentidos clamam diante da possibilidade de um envolvimento não será fácil. Assim, a outra pessoa, percebendo os caminhos pelos quais a amizade está se enveredando e as circunstâncias pelas quais fazem crescer outros apelos, precisará também buscar forças para a retomada do equilíbrio daqueles sentimentos fugazes que ambos se encontram envolvidos e que podem esvaziar a beleza daquilo que poderia ser uma pura amizade.
Deus abençoe nossas amizades!
Foto Dado Moura
contato@dadomoura.com
Dado Moura é membro aliança da Comunidade Canção Nova e trabalha atualmente na Fundação João Paulo II para o Portal Canção Nova como articulista. Autor do livro Relações sadias, laços duradouros
Outros temas do autor: www.dadomoura.com
twitter: @dadomoura
facebook: www.facebook.com/reflexoes

A família se refaz quando o perdão acontece

"Entretanto, milhares de pessoas se ajuntaram, a ponto de uns pisarem os outros. Jesus começou a falar, primeiro a seus discípulos: 'Cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. Não há nada de oculto que não venha a ser revelado, e não há nada de escondido que não venha a ser conhecido. Portanto, tudo o que tiverdes dito na escuridão, será ouvido à luz do dia; e o que tiverdes pronunciado ao pé do ouvido, nos quartos, será proclamado sobre os telhados. A vós, porém, meus amigos, eu digo: não tenhais medo dos que matam o corpo e depois não podem fazer mais nada. Vou mostrar-vos a quem deveis temer: temei Aquele que, depois de fazer morrer, tem o poder de lançar-vos no inferno. Sim, eu vos digo, a este deveis temer. Não se vendem cinco pardais por duas moedinhas? No entanto, nenhum deles é esquecido por Deus. Até mesmo os cabelos de vossa cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais'' (Lucas 12,1-7)

Somos mais que os passarinhos. O Pai cuida do pardal, e muito mais de nós que valemos mais do que muitos pardais. O que lhe acontecer, não tenha medo, porque você vale muito mais do que os pássaros. Nós podemos cantar o Salmo 31 em qualquer situação da nossa vida: "Vós sois para mim proteção e refúgio".
"A própria noção de 'problema' já diz que ele tem solução. Não há problema sem solução" (monsenhor Jonas)


Recordo-me do que aconteceu com a Eliana Ribeiro e o Fábio Roniel [casal de consagrados na Canção Nova]. Quando começaram a namorar, o Fábio foi conhecer os pais da Eliana; na volta aconteceu uma tragédia: eles sofreram um acidente e o pai da Eliana faleceu. O casal ficou bastante feridos, mas mesmo diante dessa situação, nós cantamos: "Vós sois para mim proteção e refúgio".

A Eliana ficou completamente quebrada: quebrou a bacia, a clavícula. O banco em que o pai dela estava, esmagou o músculo da sua perna; e o médico disse que ela não andaria mais, mas, graças a Deus, isso não aconteceu. O Fábio passou por uma cirurgia na perna.

Eu contei isso para lhes dizer que em qualquer situação da nossa vida, Deus vem correndo ao nosso encontro. No filme "A Paixão de Cristo", quando Jesus cai pela primeira vez, Nossa Senhora vai correndo para pegá-Lo. Conosco é assim, por mais dura que seja a queda da nossa vida, se estamos "quebrados" e caídos no chão, o Senhor vem ao nosso encontro.

Que bonito! Esse é um salmo penitencial, de quando Davi cometeu o pecado do adultério. Ele mandou matar o seu soldado mais fiel. E Davi para esconder seu erro, para cometer o adultério, mandou matar Urias. Mas imagina como deveria estar o coração de Davi! Nada estava indo bem, até que ele disse: "Confessei, afinal, meu pecado, e minha falta vos fiz conhecer".

Talvez você tenha cometido o adultério como Davi, ou tenha mentido e muitas outras coisas. Hoje, não é somente os homens que cometem adultério, mas as mulheres também! E que lindo se você também fizer como ele e confessar os seus pecados!

Como é um alívio quando cometemos um pecado e confessamos, porque temos a graça de sermos perdoados. Que maravilha olhar "cara a cara" para o Senhor e dizer: "Obrigado, Jesus, porque o Senhor perdoou os meus pecados".

Muitas vezes, "quebramos" o nosso casamento e, assim também a nossa sociedade com Deus. Casamento é, primeiramente, parceria com o Pai. O casal se associa a Deus para se unir àquela pessoa, para realizar a vontade do Senhor.

Na verdade, foi Deus que escolheu vocês primeiro. Não foram os seus olhos bonitos ou o seu "jeito de galã". Deus usou disso para unir a vocês dois. Foi Deus quem quis! O Senhor já havia escolhido cada um de vocês, por isso não dá para romper.

Se você tem dois livros dá para dividir: eu fico com um e você fica com outro. Mas se eu pegar o meu livro e tentar dividir eu não estou dividindo, eu estou dilacerando. Mesmo que, se eu quisesse dividir, não estaria dividindo, estaria dilacerando. Olha a situação do meu livro... Sempre sobra um pedacinho. E não é um pedaço insignificante! São um, dois ou três filhos, com um ou dois netos. Os casais não estão se dividindo, a palavra correta é que os casais estão se dilacerando.

Eu tinha todas as qualidades para ser um bom marido, para ser um bom pai. Casa e família sempre me encantaram. A minha família era toda unida, como um bolinho de gato, claro que saía algumas "unhadas", porque gato tem unhas, mas é natural de família. Eu tive um bom exemplo de família.

Assim como o passarinho tem o seu ninho, eu tinha o meu ninho. Tinha a minha família, a minha casa. Essa foi a parte mais difícil da minha vocação: sair de casa. Mas, modéstia "às favas", olha quantos filhos, como eu fui fecundo e até materialmente. Se a fecundidade do corpo funciona, imagina a fecundidade espiritual!

Se é por um problema financeiro que você está passando, não se preocupe. Quantos problemas nós também passamos. E todos os problemas passam. Os casais que já tem 30 anos de casados... Cadê os problemas de 20 anos atrás? Já passaram. E os problemas de um ano atrás? Também. Tudo passa, em Deus nada falta. Em tudo, só Deus basta.

Talvez você esteja enfrentando problemas difíceis e até mesmo impossíveis. A própria noção de "problema" já diz que ele tem solução. Não há problema sem solução. Talvez nós, como alunos, não queiramos quebrar a cabeça para resolver os problemas. A quem tem Deus nada falta. Em Deus tudo se alcança!

Minha mãe, certa vez, confessou que quando brigava com meu pai, eles nunca iam dormir sem se reconciliar. Mesmo quando estavam enfezados, nunca dormiam sem se reconciliar.

É bom perdoar os filhos, mesmo quando eles nos decepcionam a ponto de arrancar pecados de nós. Mas como é bom perdoar! Existe o amor carnal, um amor biológico, pois foram os nossos pais que nos fizeram. Então, já existe um amor natural.

Somos "carne da mesma carne". O natural já é se perdoar. O "não natural" é não se perdoar, como marido e mulher que são uma só carne e não se perdoam. Assim também com o pai, a mãe e os filhos que nos decepcionam, arrancam pedaços, mas depois que o perdão acontece tudo se refaz.

Quando a gente se perdoa, que fecundidade vem daí! Todos nós precisamos amar, assim como precisamos ser amados. Tanto quanto precisamos perdoar, precisamos ser perdoados.

Deus o abençoe!

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova


.: Receba mensagens do monsenhor Jonas no seu celular